RIO DE JANEIRO – A cidade na fotografia e a fotografia na cidade

com Pedro Karp Vasquez
Inscrições abertas

Como se sabe, a fotografia é uma arte oitocentista, que foi introduzida no Rio de Janeiro em 1840. Contudo, desde então, os fotógrafos cariocas ou aqui radicados esquadrinharam toda a cidade com suas câmeras, registrando as construções do período colonial ao mesmo tempo em que documentavam a vida na Corte Imperial e, depois, o período republicano, da República Velha até o presente.

Assim sendo, é possível se afirmar que o acervo fotográfico carioca, conservado em instituições públicas ou particulares, engloba os três períodos
desta cidade muito justamente considerada como “a síntese do Brasil”: o colonial, o imperial e o republicano. Contudo, como o primeiro deles é anterior
ao advento da fotografia, só pode ser representado pelo patrimônio construído. Assim, para cobrir essa lacuna, o curso contemplará também a obra de pintores que podem ser considerados precursores do olhar fotográfico pelo fato de atuarem como cronistas da vida carioca, tais como os assim chamados “artistas viajantes”, Leandro Joaquim e Jean-Baptiste Debret, por exemplo.

O diálogo com as artes plásticas foi uma das características maiores do fazer fotográfico, mesmo porque diversos dos fotógrafos pioneiros eram oriundos das artes convencionais ou colaboraram com artistas plásticos na realização de projetos específicos. Joaquim Insley Pacheco, Arsênio da Silva e Karl Ernest Papf eram pintores; Marc Ferrez era filho e sobrinho de escultores; Augusto Malta era íntimo dos irmãos Bernardelli. Mais recentemente artistas como Hélio Oiticica, Antonio Manuel, Anna Bella Geiger, Rubem Gerchman, Carlos Vergara e Waltércio Caldas fizeram uso intensivo da fotografia em suas obras, tanto com imagens de própria autoria, quanto com material de imprensa ou com a colaboração de fotógrafos profissionais.


PEDRO KARP VASQUEZ é escritor, fotógrafo, curador e membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Foi responsável pela criação do Instituto Nacional da Fotografia da Funarte, assim como do Departamento de Fotografia, Vídeo & Novas Tecnologias do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. É autor de 27 livros, entre os quais figuram obras de referência como: Dom Pedro II e a Fotografia no Brasil; O Brasil na Fotografia Oitocentista; Dicionário Técnico da Fotografia Clássica.


Inscrições abertas!
Aulas aos sábados, das 10h às 12:30h na Sala dos Archeiros.

Maio – 04, 11, 18 e 25
Junho – 01, 08, 15, 29
Julho – 06, 13, 20 e 27

Informações e inscrições: escolasemsitio@gmail.com | 21 2215-2093 215-2403


 

PROGRAMA DO CURSO

MAIO
Aula 1
A Cidade antes da Fotografia
1. Os registros dos pintores viajantes
2. Dom João VI e a “Missão Artística Francesa”

Aula 2
O Rio descobre a Fotografia
1. Chegada da daguerreotipia à cidade
2. Dom Pedro II: fotógrafo, mecenas, colecionador

Aula 3
A Fotografia descobre o Rio
1. Pioneiros do paisagismo fotográfico carioca
2. Difusão e comercialização de imagens fotográficas

Aula 4
O mundo descobre o Rio (e o Brasil) graças à Fotografia
1. Inserção da fotografia nas exposições de arte
2. O reconhecimento internacional da fotografia carioca

JUNHO
Aula 5
A República e a Fotografia
1. A crise provocada pela mudança de regime
2. Fotografia e política

Aula 6
O Rio do “Bota-Abaixo” e a Fotografia
1. Augusto Malta, fotógrafo oficial da Prefeitura do Rio
2. O desmonte do Morro do Castelo e a continuação das reformas

Aula 7
A Fotografia “ilustrada”
1. Histórico da fotografia na imprensa
2. As revistas semanais e a consolidação da fotografia

Aula 8
Fotoclubismo e a “Fotografia artística”
1. Origens e expansão do fotoclubismo no Rio de Janeiro
2. A incorporação da fotografia pelos artistas da “Opinião 65”

JULHO
Aula 9
O reconhecimento institucional da Fotografia
1. O Instituto Nacional da Fotografia da Funarte
2. A fotografia nas instituições públicas e particulares cariocas

Aula 10
Dores de crescimento
1. A transição da fotografia clássica para a imagem digital
2. A crise da imprensa na era digital

Aula 11
A cidade visível e a cidade invisível
1. A fotografia na “Cidade maravilhosa”
2. A fotografia na “Cidade partida” e nos pontos cegos

Aula 12
A Fotografia no novo milênio
1. Escombros e miragens do Rio de Janeiro
2. Perspectivas da fotografia carioca

Paço Imperial
Praça XV de Novembro, 48
Centro - Rio de Janeiro
55 21 2215 2093
 
De terça a domingo, das 12 às 19h
Entrada Franca

Bistrô do Paço
De segunda a sexta, das 11h às 19h30
Sábados, domingos e feriados, das 12h às 19h
 
Restaurante Arlequim
De segunda a sexta, das 10h às 20h
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h