Biblioteca

Ao abrigar a família real, que se transfere de Lisboa para o Rio de Janeiro em 1808, o Paço torna-se a sede administrativa do Reino Unido do Brasil, Portugal e Algarves, recebendo a denominação de Paço Real. Com a declaração de Independência, em 1822, o Paço transforma-se em Paço Imperial.

Neste local se encontra a Biblioteca Paulo Santos, com um acervo doado pelo arquiteto que a nomeia: um dos principais estudiosos da arquitetura luso-brasileira, criador e catedrático da disciplina “Arquitetura no Brasil”, no curso de graduação da faculdade de arquitetura no Brasil. Carioca, Conselheiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional durante 25 anos, escreveu livros e artigos especializados. Sua coleção de livros, periódicos, catálogos, teses e folhetos, embora variada quanto à temática, mostra-se extremamente preciosa no que se refere à arquitetura e ao urbanismo.

Santos doou também seu acervo documental com cerca de 50.000 páginas de material. Tal acervo compõe-se por correspondências, mapas, fichas de aula, recortes de jornal e fotografias. Este material, num futuro próximo, deverá passar por um processo de catalogação, higienização e guarda adequados.

Horário de funcionamento: segundas, quartas e sextas-feiras, das 11h às 16h.

Paço Imperial
Praça XV de Novembro, 48
Centro - Rio de Janeiro
55 21 2215 2093
 
De terça a domingo, das 12 às 19h
Entrada Franca

Bistrô do Paço
De segunda a sexta, das 11h às 19h30
Sábados, domingos e feriados, das 12h às 19h
 
Restaurante Arlequim
De segunda a sexta, das 10h às 20h
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h